27 de outubro de 2021

6 thoughts on “Eu, Rondon, Roosevelt, HBO, etc e tal

  1. Muito bom barbara a matéria bem interessante saber o que foi marechal Rondon mas tem Rua em Cuiabá que da homenagem este patrono das comunicações que e Rua Cândido Mariano. Nome completo e Cândido Mariano da Silva rondon. Conhecida também como Rua das óticas.

  2. Oi Bárbara, para mim a figura de Rondon sempre foi enigmática. Um desbravador, idealista, por mais que digam o contrário um conservacionista. No distrito de Capim Branco em Campo Verde, o posto telegráfico montado por ele foi transformado em museu. Em Mimoso alguns idealistas professores da UFMT, liderados pela professora Jocenaide organizaram uma associação “amigos de Rondon”, restabelecendo o resgate da memória e focando na pesquisa. Mas foi em Porto Velho q conheci o Museu de Rondon, obra realizada com esmero cuidado do resgate e q trás um acervo fotográfico e de imagens originais da expedição Roosevelt e Rondon. Fiquei emocionado de presenciar como Rondonia reverência à figura de Rondon. Afinal não podemos esquecer além de todas as referências q vc traz, ele é o único brasileiro que teve um Estado batizado com seu nome. Qdo fui secretária Estadual de Turismo trabalhei para a conclusão do Memorial de Rondon, afinal a obra estava parada a mais de 10 anos, imaginava em ali ser um espaço pra regate da memória desse grande mato-grossense que se progetou para o Brasil e o mundo, Cândido Mariano da Silva Rondon. A duas semanas fui com meu marido visitar o Memorial, fiquei triste em ver como ele se encontra, afinal foi inaugurado a dois anos e até agora não deram uma destinação correta ao espaço. Nos últimos dias li na imprensa local um movimento nesse sentido, tenho esperança de ver aquele espaço transformado em um imprtante produto turistico. Parabéns pela matéria. Se tiver oportunidade vá conhecer o museu em Porto Velho, vale a pena.

    1. Oi Teté, que honra ter o seu oportuno depoimento aqui no blog!! Seja bem vinda!! Rondon merece todas as homenagens – desde que sinceras, como ser nome de um Estado brasileiro. Digo isso porque eu também fiquei decepcionada em ver um Memorial – dentro do Distrito onde nasceu Rondon – abandonado!! Considerando que era para estar em pleno funcionamento e cheio de alunos, pesquisadores e turistas. Agora, estou muito curiosa para conhecer o museu em Porto Velho. Obrigada por colaborar com o blog!! E sucesso na Embratur!! Bjs da Babi

  3. Bárbara que reunião de personagens! Vidas e feitos que se cruzam mesmo atemporal. Matéria de resgate de memória brasileira junto ao seu encontro e reencontro com Rondon. Parabéns!

Deixe uma resposta para Wagner Moreira neves Cancelar resposta

%d blogueiros gostam disto: